00:0000:00

Osesp

John Neschling regente

Robert Schumann
I. andante un poco maestoso – allegro molto vivace

Gravada em abril de 2007 na Sala São Paulo

Lançado em CD pelo selo Biscoito Fino

Em setembro de 1840, superando a violenta oposição de Friedrich Wieck, o pai da noiva, Robert Schumann e Clara Wieck se casaram. A esse acontecimento seguiu-se um excepcional período criativo, em que o compositor escreveu 138 canções no espaço de um ano. Nesse mesmo período nasceu a Sinfonia nº 1 em Si bemol, Op.38, intitulada Primavera. Composta em “horas ardentes”, em “quatro dias e quatro noites sem dormir, entre 23 e 26 de janeiro de 1841”, como relatou Schumann em carta ao compositor Ludwig Spohr, a Sinfonia foi escrita “naquele impulso de primavera, que a cada ano sobrevém ao homem, até a idade mais avançada”.

O início da Primeira Sinfonia, com a chamada das trompas e trompetes, foi inspirado num poema de Adolf Böttger, que evoca o despertar da primavera no vale. O mesmo motivo, agora em andante um poco maestoso - allegro molto vivace, transforma-se no primeiro tema da Sinfonia. O segundo tema, nos clarinetes e fagotes, compartilha da mesma agitação primaveril do primeiro. O desenvolvimento apóia-se todo no vigor rítmico do primeiro tema, tocado ao final de forma solene pelos metais. Uma coda em andamento ainda mais vivo encerra o movimento.

O segundo movimento, larghetto, evoca Schumann, o compositor de canções: uma melodia sonhadora é ouvida primeiro nos violinos, e na seqüência, nos violoncelos e nas trompas. Ao final, os trombones anunciam o tema do próximo movimento.

O scherzo: molto vivace, em ritmo robusto e tonalidade menor, alterna com dois trios, um com caráter de marcha, o outro com caráter de dança.

Por fim, o allegro animato e grazioso baseia-se num tema principal ligeiro, tocado em staccato pelos violinos. O segundo tema, extraído das Kreisleriana para piano solo de Schumann, é tocado por oboés e fagotes. O final do desenvolvimento traz, de forma sugestiva, uma chamada de trompas, e uma cadência para flauta solo.
Interessante ressaltar que, a princípio, Schumann havia pensado em atribuir títulos aos quatro movimentos: ‘O Início da Primavera’, ‘A tarde’, ‘Alegres companheiros’ e ‘Plena Primavera’, mas tal idéia foi abandonada, para reforçar a concepção sinfônica da obra.

Roberto Dante Cavalheiro é professor da Academia da Osesp, da Escola Municipal de Música de São Paulo e da Faculdade Santa Marcelina.